No passado dia 5 de Maio do ano corrente de 2011, pelas 18 horas, a Editora Dinalivro em parceria com a Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos realizou na Sede desta Entidade a apresentação pública do livro Santiago de Compostela (Mistérios da Rota Portuguesa), de Vitor Manuel Adrião. A entrada foi  livre ou gratuita e o convite público, onde perto de meia centena de presentes puderam assistir a um momento raro em que se falou de Portugalidade Espiritual e Tradição Hermética entrecruzadas nos fascínios e nos mistérios do caminho português para Santiago de Compostela, “espinha dorsal” da Espiritualidade Portuguesa que contagiou a restante continental.

Os caminhos da peregrinação a Santiago de Compostela foram a base principal da evolução social europeia pela interrelação espiritual, cultural e política das multivariadas culturas que neles se encontravam e acordavam peregrinar para o fim comum: o abraço da devoção ao Apóstolo de Cristo sobre o seu túmulo na capital da Galiza, acalentada pelas estrelas da estrada de Santiago.

De todos o mais antigo é o caminho português, onde aconteceu a lenda dourada de São Tiago Maior e sob a sua pessoa foi fundada a Igreja cristã com primaz em Braga, donde irradiou para toda a Península Ibérica. Os factos históricos, os acontecimentos maravilhosos, as lendas e cantigas do peregrino, os símbolos da peregrinação, o seu significado espiritual, muito hermético para poucos, só religioso para muitos, ambas as coisas para alguns, os lugares do caminho, os seus ícones e monumentos, são alguns dos tópicos abordados neste livro apresentado e exclusivamente dedicado aos mistérios da aparição, expansão e celebração da rota santiaguista portuguesa.

Itinerário religioso e cultural o caminho de Santiago de Compostela, onde não é feita distinção de raças, credos e não credos, em 1987 foi reconhecido pelo Conselho da Europa como “o primeiro itinerário cultural europeu”, cuja fama de tolerância e aceitação universal já corria pela Europa e o mundo no século XIII.

 

El Camiño se abre a todos,

Enfermos y sanos,

No sólo a católicos, sino aún a paganos,

A judios, hereges, ociosos y vanos,

Y más brevemente, a buenos y profanos.

 

Índice de Santiago de Compostela (Mistérios da Rota Portuguesa) consta de XX capítulos ordenados da maneira seguinte:

 

INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I – GALIZA PORTUCALENSE

CAPÍTULO II – A “LENDA ÁUREA” JACOBEIA

CAPÍTULO III – SIMBOLISMOS DA “LENDA ÁUREA”

CAPÍTULO IV – RELÍQUIAS E HAGIOLÓGIO

CAPÍTULO V – SANTIAGO DE COMPOSTELA, “CIDADE SANTA”

CAPÍTULO VI – O PRIMAZ DE BRAGA E SANTIAGO

CAPÍTULO VII – SANTIAGO MATAMOUROS

CAPÍTULO VIII – ORDEM DE SANTIAGO DA ESPADA (RITUAL DE ARMAÇÃO – 1798)

CAPÍTULO IX – PATRIMÓNIO PORTUGUÊS CONSTRUÍDO PELA ORDEM DE SANTIAGO DA ESPADA

CAPÍTULO X – HOSPITALIDADE JACOBEIA (ALBERGUES E HOSPITAIS)

CAPÍTULO XI – ETNOGRAFIA E SIMBOLOGIA JACOBEIA

CAPÍTULO XII – O CAMINHO JACOBEO PORTUGUÊS

CAPÍTULO XIII – PEREGRINAÇÃO DE LISBOA A COMPOSTELA (JUAN BAUTISTA CONFALONIERI – 1594)

CAPÍTULO XIV – DE SANTIAGO DE LISBOA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

CAPÍTULO XV – LENDA DE SANTIAGO BARQUEIRO E CAIO NÁUFRAGO

CAPÍTULO XVI – BARCELOS, TERRA DO GALO

CAPÍTULO XVII – DE LOURES À GALIZA

CAPÍTULO XVIII – SANTIAGO DO ALENTEJO

CAPÍTULO XIX – PADERNE NA ROTA DO ALGARVE

CAPÍTULO XX – CRONOLOGIA BREVE JACOBEIA

LOCAL E DATA DO EVENTO:

EVENTO: APRESENTAÇÃO PÚBLICA DO LIVRO SANTIAGO DE COMPOSTELA (MISTÉRIOS DA ROTA PORTUGUESA), DE VITOR MANUEL ADRIÃO.

APRESENTAÇÃO DA OBRA E DO AUTOR: DR.ª SOFIA MACEDO, DO CORPO DIRECTIVO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS AMIGOS DOS CASTELOS.

ORADORES: DR.ª PAULA AMARO, RESPONSÁVEL EDITORIAL DA DINALIVRO, SR. PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS AMIGOS DOS CASTELOS, ENGº. FRANCISCO SOUSA LOBO, DR.ª SOFIA MACEDO, DO CORPO DIRECTIVO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS AMIGOS DOS CASTELOS, E O AUTOR DO LIVRO, DR. VITOR MANUEL ADRIÃO.

DATA E HORÁRIO: DIA 5 DE MAIO, QUINTA-FEIRA, DE 2011, ÀS 18 HORAS.

LOCAL: ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA AMIGOS DOS CASTELOS. RUA BARROS QUEIRÓS, 20, 2.º E – 1100 LISBOA.

Sobre o autor:

Vitor Manuel Adrião nasceu em Lisboa em 26 de Novembro de 1959. Formado em História e Filosofia, antiga cadeira de Histórico-Filosóficas da F.L.L., dedica-se há mais de 30 anos à investigação histórica nas áreas da simbologia e da tradição portuguesa no período medieval, tendo coordenado vários cursos sobre a História Sagrada de Portugal, de que se destacam: curso de “História Mítica Portuguesa” em Paço de Arcos, 1986; curso de “Introdução à Portugalidade” na Academia de Letras e Artes em Cascais, 2001; curso “Portugalidade e Tradição” na Academia de Letras e Artes no Estoril, 2009.

Estudioso da cultura do Termo ou dos Saloios, dedicou dezenas de artigos e quatro livros ao tema, valendo-lhe louvores públicos de várias edilidades municipais, diplomas e a medalha de honra de Santo António dos Cavaleiros, por ter contribuído na aprovação do seu brasão e bandeira, o que igualmente aconteceu em Loures e Frielas, nesta como interventor da cultura folclórica e etnográfica local, tendo recebido prémios e menções honrosas. Conferencista e escritor, com mais de 2000 palestras feitas, escritos centenas de artigos e cerca de 40 livros, periodicamente colabora em emissoras de rádio e televisão, jornais e revistas nacionais e estrangeiras. Autor da “História Oculta de Portugal”, editada em São Paulo, tem uma vasta obra dedicada à Brasilidade de que se destaca a “História Secreta do Brasil”, igualmente editada em São Paulo. Como reconhecimento oficial da sua prestação cultural ao Brasil, em 2002 a Sociedade de Estudos de Problemas Brasileiros conferiu-lhe o título perpétuo da cadeira Histórica e Cultural certificando-o Comendador. Em 2010 o Grande Priorado de São Paulo, homenageou-o com o diploma e medalha do Grande Oriente do Brasil – Loja Madras. Em 1978 fundou, em Sagres, a Comunidade Teúrgica Portuguesa, instituição cultural-espiritualista que vem dirigindo desde então na linha de pensamento da antiga Sociedade Teosófica Brasileira, mas adaptada à vocação lusíada com pólo fixo em Sintra, Serra de cuja História Sagrada também é o primeiro autor português, tendo escrito “Sintra, Serra Sagrada”. Ultimamente tem dirigido um sítio da internet com temas de Portugalidade e Tradição: http://lusophia.portugalis.com/

 

 Nacional

2011-05-09

 

História: Vitor Adrião referencia em livro todas as rotas do Caminho Português de Santiago, o mais antigo da Europa

 

As diferentes rotas do caminho português de Santiago, o mais antigo da Europa, são referenciadas e sistematizadas na obra de Vítor Manuel Adrião, “Santiago de Compostela. Mistérios da Rota Portuguesa”.

Em declarações à Lusa o autor sublinhou que “há vários caminhos como os espanhóis, o francês ou os por via marítima, de Itália, Inglaterra e da Alemanha, mas o mais antigo é o português”.

O autor citou “a lenda áurea que trata da vinda de São Tiago Maior à Península, e decorre toda ela na atual região norte de Portugal”.

Vítor Adrião afirmou que nos últimos quinze anos “assiste-se ao recrudescimento do interesse pelo caminho português, que parecia adormecido”.

“Há um maior interesse pela busca cultural, espiritual e até pelo simples trânsito pelos caminhos de Santiago que, como afirma um poema do século XIII, “são abertos a todos, profanos e hereges, bons e maus”, disse o autor, salientando que o “caminho é essencialmente uma rota penitencial a par de sapiencial”.

Adrião referenciou o caminho “al-andaluz” que parte da Andaluzia “mas entra em território nacional e que concentra a sabedoria árabe”.

“Refira-se que os árabes tinham uma grande e sentida veneração por São Tiago. Quando o invasor mouro Almansor conquistou Compostela, poupou o túmulo do Apóstolo a pedido do bispo de Lamego que na altura vivia na cidade”, disse.

“A rainha Santa Isabel fez duas vezes o caminho, primeiro a partir de Santiago do Cacém, acompanhada pela princesa bizantina Vatasa de Lascaris, sua aia, e a segunda a partir de Coimbra”. “O caminho é de aventura, feito de lendas, de estrelas, de homens, e este livro é afinal uma aventura”, realçou.

O autor afirmou que na sua obra se destaca a espiritualidade portuguesa e referencia cada um dos caminhos portugueses: de Loures à Galiza, o de Santiago do Alentejo, o caminho a partir de Paderne, no Algarve, o de Lisboa a Compostela.

Na obra, editada pela DinaPress, são dedicados capítulos à capital galega onde se encontra o túmulo do Apóstolo, a ligação do Primaz de Braga a Compostela, a lenda de Santiago matamouros, a Ordem de São Tiago da Espada, o património desta Ordem em Portugal, ou ainda a etnografia e simbologia jacobeia assim como a lenda de Santiago barqueiro.

O autor faz ainda referência aos “ditos populares” ligados ao caminho, assim como à gastronomia e aos albergues e hospitais na rota jacobeia.

Autor: Lusa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements